Como deve ser a vacinação de cachorros no primeiro ano de vida?

Não há dúvida: as vacinas protegem seu cão de doenças infecciosas, que podem ser letais. 

Por isso, a vacina para cachorros é fundamental para proteger e garantir a saúde do seu pet. Ela é uma prioridade para qualquer família que tenha decidido adotar esse animal.

Apesar dos avanços na medicina veterinária, o cachorro ainda hoje pode ser atingido por vírus, bactérias e parasitas.

Logo, a vacina para cachorro ocupa um papel de destaque. Normalmente, o cão é vacinado como filhote, a partir de dois meses de vida, com chamadas subsequentes. 

É porque as vacinas garantem um crescimento saudável para o filhote durante a vida do cão. Elas garantem imunidade a diversas patologias, e às vezes elas são mortais.

Quer saber mais sobre a vacinação para cachorros? Continue lendo e vamos falar tudo sobre o assunto!

Quando vacinar um cachorro?

Apesar de ser recomendado que a vacina para cachorros seja feita desde quando ainda é filhote, um cachorro adulto adotado também pode ser vacinado.

Neste caso, é preciso verificar sua condição com o veterinário, pois é possível que ele já tenha sido vacinado.

A dúvida mais comum é: mas quais são as vacinas essenciais? Qual é a principal imunização dos filhotes? 

As vacinas não essenciais são igualmente importantes e aconselháveis, dependendo do quadro clínico do seu pet.

A necessidade dessas vacinas depende de cada raça. Saiba mais a seguir!

Relação de vacinas

Sabemos que existem diferentes tipos de vacina para cachorro e que variam de acordo com: a idade do filhote e seu papel na saúde e no bem-estar. 

Cada uma deles representa uma deficiência no sistema imunológico do cão e algumas devem ser administradas em momentos diferentes da vida do cão.

  • 6 – 8 Semanas : Primeira Vacina para Distemper, Hepatite, Parvovírus (CHP) e, se necessário / desejado, para Parainfluenza.
  • 10 – 12 Semanas : Segunda Vacina para Distemper, Hepatite, Parvovírus e Vacinação contra Leptospirose (CHPL).
  • 14 -16 Semanas : Vacina para Cárie, Hepatite, Parvovírus, Leptospirose (CHPL) e, se necessário / desejado, Tosse do Canil, Parainfluenza e Raiva.

As referências serão organizadas da seguinte maneira:

  • Todos os anos : Distemper, Hepatite, Parvovírus, Leptospirose (CHPL) e, se necessário / desejado, Parainfluenza e Raiva.

Vacinas obrigatórias para cachorro

Anti-raiva não está entre as vacinas recomendadas, no entanto é frequentemente necessário quando se viaja para o exterior. 

Claro que os protocolos obrigatórios podem variar de país para país

Anti-raiva para cães deve ser administrada pelo menos um mês antes da partida, pois a cobertura fica ativa após 21 dias.

Aqui estão as vacinas obrigatórias, que todo cão deve fazer:

  • Cimurro (Código: C).
  • Hepatite (Abreviação: H).
  • Parvovírus  (Referência: P).
  • Leptospirose (Abreviação: L).

Vacinas opcionais para cachorro

Existem outras vacinas que não são obrigatórias, mas podem ser muito úteis. Por exemplo, cães não vacinados contra raiva podem ter restrições de viagem e acesso a certas instalações.

Sempre converse sobre suas necessidades e hábitos com seu veterinário. É ele que vai informar todas as vacinas indicadas para o seu cão. 

Entre as vacinas para cachorro mais comuns, estão:

  • Parainfluenza.
  • Raiva.
  • Vacina contra Leishmaniose.

Tipos de doenças

As vacinas essenciais são aquelas às quais qualquer cão de qualquer idade deveria ter sido submetido.

Elas ajudam a proteger o cão de diversas doenças, entre elas a leptospirose que é uma doença que também nos afeta.

O contágio ocorre por contato direto com a urina de um transportador ou animal doente ou com água contaminada, porque são bactérias que sobrevivem muito bem em ambientes úmidos.

Efeitos colaterais de vacinas para cães

Como pode acontecer com os seres humanos, as vacinas para cães podem, em alguns casos, ter efeitos colaterais.

Vamos apresentar alguns:

1 – Apatia: É normal que o cão se afaste um pouco de seu dono em uma reação de reprovação por tê-lo submetido a um grande estresse.

2 – Dormência: O cão pode ter algum tipo de fadiga e até precisar de um pouco de sono.

3 – Distúrbios gastrointestinais: Algumas vacinas podem causar dor de estômago, diarreia e até vômito em cães, o que pode influenciar seu apetite.

4 – Problemas respiratórios: Em alguns casos, a vacina pode causar tosse, espirros ou coriza. De fato, pode ser relativamente comum ter um quadro de gripe.

5 – Inflamação : Alguns tipos de nódulos podem se formar após a aplicação da vacina no local onde a vacina foi aplicada, isso ocorre porque o líquido ainda não se espalhou. 

6 – Afalaxía: Este talvez seja um dos efeitos mais graves que podem surgir ao vacinar um cão e consiste em um conjunto de afecções que variam entre inchaço ou focinho na garganta, que impedem a respiração normal. 

Entre outros sintomas, temos também: pulso fraco, vermelhidão da pele, diarreia ou vômito. Nesse caso, devemos ter muito cuidado e levar ao veterinário o mais rápido possível.

Informações extras sobre a vacinação para cachorro

-> É aconselhável que o veterinário faça todas as verificações preliminares consideradas adequadas e necessárias.

-> Também é preferível monitorar o cãozinho constantemente nos próximos dias após as injeções.

-> O custo da primeira vacinação varia de acordo com a área de residência, tipo de vacina e a visita que o veterinário faz. 

-> A vacina trivalente para cães, por exemplo, terá naturalmente um custo menor do que um procedimento que inclui mais vacinações, como tetravalente ou heptavalente. 

-> As vacinas para cães são a maneira mais eficaz de proteger o melhor amigo de um homem das principais doenças infecciosas.

-> Atente-se às vacinas obrigatórias para se viajar com o cachorrinho. Ele precisa ter a cartela atualizada; claro que isso vai depender do país em que ele for viajar.

Custo da vacina canina

Neste texto, você conferiu mais a respeito das vacinas em cachorros. A medicina preventiva é sem dúvida a chave para qualquer dono de animal.

Lembre-se de que sempre será muito mais barato prevenir doenças do que curá-las, além de evitar o risco de transmitir doenças aos membros da sua família.

A vacinação para cachorro é importante para vocês dois, então não deixe de fazer.

Se quiser conferir outras postagens como essa e saber como cuidar bem do seu animal de estimação, acompanhe mais textos em nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre em Contato