Tudo o que você precisa saber sobre vacinação em gatos

Felizmente, os animais de estimação vivem hoje muito mais do que viviam antigamente, e a vacinação tem um papel crucial nessa sobrevida. Isso porque, assim como nos humanos, é a vacina que protege os animais contra várias doenças infecciosas.

Quando se fala de vacinação em animais, é muito importante saber que apenas o Médico Veterinário está apto a administrá-las, pois somente ele tem conhecimento para analisar se o seu pet pode ser vacinado, quais vacinas e com qual frequência deve receber.

Você sabe quais são as vacinas para gatos? Com qual idade eles devem começar? E com qual frequência devem repetir a vacinação?

Se quiser saber mais sobre a vacinação em gatos e porque ela é tão importante para sua saúde e bem-estar, continue com a gente nessa matéria!

 

Por que meu gato precisa de vacinação?

A vacinação está dentro da medicina veterinária preventiva, área da medicina que se ocupa em evitar que os animais fiquem doentes. Sabe aquele velho ditado “É melhor prevenir, do que remediar”? Pois então, a vacinação é uma das principais formas de prevenção de doenças e exerce um papel crucial no controle das doenças infecciosas, já que ela prepara o sistema imunológico do gato frente aos diferentes patógenos.

Ao ser vacinado, o gato desenvolve anticorpos contra os agentes causadores de doenças. Esses anticorpos criados circulam pelo organismo por tempo limitado, portanto, a vacina tem que ser repetida com a frequência certa para manter a proteção necessária.

A saúde e o bem-estar do seu gatinho estão diretamente ligados a um esquema vacinal correto, já que as doenças evitadas pela vacinação podem diminuir a qualidade de vida e, por muitas vezes, até ser fatal pra ele. As principais doenças infecciosas dos gatos são contagiosas, ou seja, passam de gato pra gato. Portanto, desde filhotinho, ele precisa estar protegido contra todos os patógenos que poderá ter contato ao longo da vida.

É importante ter em mente que tanto os gatos que tem acesso à rua, quanto aqueles que vivem apenas dentro de casa devem ser vacinados. Cada um com seu esquema vacinal individualizado de acordo com o tipo de exposição.

 

As vacinas são seguras?

Todas as vacinas aplicadas por veterinários foram exaustivamente estudadas e testadas, por isso, são seguras quando administradas corretamente.

A segurança da vacina também está ligada ao estado de saúde do seu gatinho. Ou seja, se ele está com algum problema, seja gripe, febre ou qualquer outra alteração, não poderá ser vacinado. Por isso, a importância do Médico Veterinário na administração da vacina. Já que, sempre antes da aplicação, o veterinário faz um minucioso exame físico e avalia se o gato está bem e apto a receber a vacina. Além disso, é durante essa avaliação que o veterinário estabelecerá qual o protocolo vacinal ideal para o seu gato.

A maioria dos gatos tolera muito bem as vacinas, porém podem ocorrer algumas reações pós-vacinais, por exemplo: letargia, falta de apetite, febre e vômito. Caso seu gato já tenha tido algum problema no passado com aplicação de vacina, informe seu veterinário, pois ele poderá utilizar algumas medicações que evitem essas reações.

Outro fator diretamente ligado à segurança da vacina nos gatos diz respeito ao local de aplicação. A espécie felina possui algumas particularidades que determinam locais específicos para a aplicação de cada uma das diferentes vacinas. Recomenda-se que a administração seja nos seguintes lugares:

  • vacina tríplice ou quádrupla: abaixo do cotovelo direito;
  • vacina quíntupla: abaixo do joelho esquerdo;
  • vacina anti-rábica: abaixo do joelho direito.

Em relação à eficácia da vacina, a qualidade da resposta imune produzida depende da interação entre fatores individuais do sistema imune do gato, do ambiente do gato e do tipo e estado de conservação da vacina. Alguns dos fatores individuais do gato que podem influenciar na qualidade da resposta imune são:

  • presença de alguma doença concomitante;
  • estado nutricional inadequado;
  • estar em tratamento com medicações imunossupressoras;
  • gato em estado de estresse crônico.

Portanto, diante da presença dessas variáveis, não se pode afirmar que a vacinação tem eficácia de 100% de proteção em todos os gatos.

 

Tipos de vacina para gatos

Como comentado anteriormente, há várias doenças que podem acometer os gatos e as vacinas foram formuladas pensando em cada uma dessas doenças e seus patógenos causadores. As vacinas aplicadas nos gatos são:

  • Vacina Tríplice Felina: oferece proteção contra três vírus muito comuns entre os gatos. São eles, o vírus da Panleucopenia; o vírus da Rinotraquíte; e o Calicivírus;
  • Vacina Quádrupla Felina: oferece proteção contra os três vírus acima mencionados, mais a proteção contra a bactéria Clamídia;
  • Vacina Quíntupla Felina: oferece proteção contra os três vírus e bactéria acima mencionados, mais a proteção contra o Vírus da Leucemia Felina;
  • Vacina Anti-rábica: oferece proteção contra o vírus da Raiva.

As vacinas acima citadas são subdivididas em 2 grupos: essenciais e não essenciais. As vacinas essenciais são aquelas recomendadas para todos os gatos: Tríplice. As não essenciais são aquelas recomendas somente para gatos pertencentes ao grupo de risco: Quádrupla; Quíntupla e Anti-rábica.

 

A partir de qual idade o gato pode ser vacinado?

A maioria das doenças infecciosas são mais prevalentes em filhotes, pois eles são mais susceptíveis às infecções. Portanto, eles são a população-alvo principal para vacinação.

O protocolo de vacinação dos gatos, geralmente, começa ao final do período de desmame. Ou seja, a primeira vacina deve ser administrada, aproximadamente, com seis a oito semanas de vida. Durante o período de amamentação, o leite materno passa para o filhote alguns anticorpos produzidos pela mãe. Assim, no momento da primeira vacinação, o gatinho ainda tem anticorpos maternos que interferem na resposta imune do filhote à vacina. Por isso, nos filhotes, é necessário reforçar a vacinação de 2 a 3 vezes com intervalos de 3 a 4 semanas entre as aplicações.

O gato adulto pode e deve ser vacinado também. Porém, como já tem sua imunidade formada, geralmente, ele precisa apenas de 2 doses iniciais de vacina, com intervalo de 3 a 4 semanas entre as aplicações.

 

Protocolo vacinal para gatos

O protocolo vacinal é a determinação de quais vacinas e qual a frequência que o seu gato deve recebê-las. E, como dito anteriormente, somente o Médico Veterinário está apto a determiná-lo, pois ele deve realizar uma avaliação clínica dos riscos e benefícios da vacina para cada gato individualmente. Essa avaliação deve incluir, além do estado de saúde do gato, uma detalhada conversa para entender qual a probabilidade de exposição aos agentes e qual o estilo de vida do paciente. A seguir estão alguns dos fatores que irão influenciar a escolha da vacinação para o seu gato, seja ele adulto ou filhote:

  • gato único ou vários gatos;
  • morar em casa ou apartamento;
  • possibilidade de entrada de novos gatos, seja pra lar temporário ou definitivo;
  • acesso livre à rua ou não, caso more em casa;
  • banhos em petshop, passeios com coleira, viagens, entre outros.

Somente após tomar conhecimentos desses fatores, o veterinário conseguirá determinar a quais patógenos o gato será exposto, qual a magnitude dessa exposição e com qual frequência deverá ter sua vacinação atualizada.

Exemplo de protocolo vacinal desde filhote:

  • 2 meses: tríplice ou quádrupla felina;
  • 3 meses: reforço da tríplice ou quádrupla felina;
  • 4 meses: reforço da tríplice ou quádrupla felina;
  • Reforço anual da tríplice ou quádrupla felina + anti-rábica

Como visto, no caso de gatos adultos, a frequência de atualização da vacinação dependerá também do estilo de vida e estado de saúde do gato. Portanto, caso ocorra mudanças tanto na rotina, quanto na saúde geral do gato, o veterinário deve mudar o protocolo do paciente. Sendo assim, há gatos que devem ser revacinados com a vacina múltipla (Tríplice; Quádrupla) anualmente e outros que podem ter seu reforço vacinal feito a cada 2 ou 3 anos, por exemplo.

 

Vacina anti-rábica

Uma zoonose é uma doença de animais que pode ser transmitida ao homem. Diferente dos outros vírus descritos (Rinotraqueíte, Panleucopenia, Calicivírus e Leucemia), o vírus da Raiva é contagioso para a espécie humana. Ou seja, caso o gato esteja infectado com o vírus da Raiva, ele poderá passar a doença para o homem.

No Brasil, infelizmente, a Raiva não está erradicada, portanto, é extremamente importante que a vacinação anti-rábica dos gatos seja atualizada anualmente.

 

Vacina contra Leucemia Felina

A Leucemia Felina é uma doença viral muito grave e comum entre os gatos. No Brasil, a vacina que protege o gato contra o vírus da FeLV é a Quíntupla felina.

Sabe-se que a Leucemia Felina é uma doença muito contagiosa e a sua prevenção é imprescindível para diminuir sua incidência nos nossos gatos.

Até pouco tempo, a vacinação com a quíntupla era incluída somente no esquema vacinal de gatos pertencentes ao grupo de risco, isto é, aqueles com potencial de serem expostos ao vírus: gatos com livre acesso à rua ou gatos que sabidamente conviviam com gatos positivos para FeLV. Porém, diante da alta incidência dessa doença no Brasil, estudos mais recentes mostram a importância de incluir a vacina quíntupla no protocolo de todos os gatos filhotes, realizando uma aplicação aos 2 meses de vida, com reforço após 30 dias. O mesmo deve ser feito com gatos adultos nunca vacinados. Recomenda-se fazer  o reforço 1 ano após as duas primeiras aplicações. Após esse período, o reforço anual será necessário, caso o gato entre no grupo de risco de exposição ao vírus da FeLV.

 

Conclusão sobre a vacina para o seu gato

A vacinação é um dos serviços mais importantes que o Médico Veterinário oferece ao seu paciente. Embora a vacinação seja um procedimento de rotina, a ocasião permite uma oportunidade regular para o veterinário realizar exames com o intuito de manter a saúde do seu gato.

O nosso principal objetivo é proteger nossos pacientes! Sendo assim, a escolha de um protocolo vacinal individualizado é crucial para a saúde do seu gato e é um serviço exclusivo do Médico Veterinário.


 
Conteúdo Desenvolvido pelo Corpo de Médicos Veterinários do CEV Clínica Veterinária Brasília
Juliana Costa | Especializada em Medicina Felina
CRMV DF 2660

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entre em Contato